Notícia

07/02/2018 - ASTON MARTIN BUSCA UM SÓCIO CHINÊS PARA O DESENVOLVIMENTO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS

ASTON MARTIN BUSCA UM SÓCIO CHINÊS PARA O DESENVOLVIMENTO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS  Imagens e fotos de carro

O mercado dos veículos elétricos está crescendo a um ritmo alucinante na China. Essa situação só é possível graças aos fortes subsídios que o governo do país asiático vem oferecendo para que os seus habitantes comprem esse tipo de veículo. Dessa forma, e como já acontece com os veículos de combustão interna, a China se tornou o maior mercado do mundo para esses modelos.

Tendo em conta suas vendas e as expectativas de crescimento futuro que aponta esse mercado, as marcas ocidentais se lançaram em sua conquista mais uma vez. A Aston Martin é uma das marcas que quer entrar na China, pois necessita incrementar suas vendas globais de forma urgente. Por essa razão, e para cumprir com a restrita norma do gigante asiático para que um fabricante estrangeiro se instale no país, está buscando um sócio local.

Há poucos dias a Aston Martin confirmou que realizaria um investimento de 750 milhões de libras nos próximos cinco anos para melhorar sua tecnologia elétrica. No entanto, seu know-how atual ainda é limitado em relação ao que possuem outras marcas rivais. Por essa razão, e segundo declarações de Andy Palmer, CEO da Aston Martin, estão em conversações com várias marcas chinesas para estabelecer algum acordo de colaboração para desenvolver a tecnologia necessária para os seus carros elétricos.

Um dos candidatos mais firmes para essa possível associação é o fabricante local de baterias Contemporary Amperex Technology (CATL). A escolha dessa empresa foi determinante devido ao seu elevado conhecimento no setor de desenvolvimento e fabricação de baterias para carros elétricos, já que é um dos fabricantes mais tradicionais no país.

De acordo com a Aston Martin, o acordo que eles estariam dispostos a alcançar tomaria o seguinte rumo: eles seriam responsáveis pelo financiamento da pesquisa para conseguir realizar a tecnologia que necessitam, em troca de ceder parte de seu know-how em questões como o desenvolvimento aerodinâmico e métodos de fabricação com materiais leves. Resta aguardar para saber se esse acordo terá êxito.

Autor: PlanetCarsZ