Notícia

12/10/2017 - LAMBORGHINI LM002: O PRIMEIRO TODO-TERRENO DE LUXO DA MARCA ITALIANA

LAMBORGHINI LM002: O PRIMEIRO TODO-TERRENO DE LUXO DA MARCA ITALIANA Imagens e fotos de carro

Faltando alguns meses para a apresentação do Lamborghini Urus, o primeiro SUV da marca italiana, o departamento Polo Storico da Lamborghini, a nova divisão encarregada da conservação dos modelos clássicos da marca e seu legado histórico, apresenta imagens de um exemplar do LM002, que após ser restaurado, encontra-se exposto no museu da marca em Sant’Agata Bolognese.

O Lamborghini LM002 é com certeza o modelo mais peculiar da agitada história da empresa fundada por Ferruccio Lamborghini. Numa época em que a marca italiana tinha como modelo mais vendido o Countach, o LM002 esteve em produção de 1986 até 1993, embora o modelo realmente tenha nascido no final dos anos 70, uma vez que a intenção da marca não era fabricar um todo-terreno civil, mas militar, daí a selvagem configuração do LM002, que por tamanho e posicionamento não chegou a ter jamais um só rival no mercado.

Nos anos 70, a Lamborghini foi contratada pela Mobility Technology International (MTI), empresa que por sua vez foi contratada para desenvolver um novo veículo todo-terreno para as diversas divisões do exército americano. Na mesma época em que foi desenvolvido o HMMWV, ou Humvee, o projeto apresentado pela AM General. 

O veículo resultante foi denominado Cheetah e contava com um motor V8 de origem Chrysler montado atrás do habitáculo e foi desenvolvido em grande parte pela MTI, mas logo enviado à Sant’Agata Bolognese para os ajustes finais e acabamentos. Apresentado em 1977, o Cheetah teve poucas oportunidades na concorrência que mais tarde seria vencida pelo Humvee, uma vez que o exército não teve a oportunidade de testar o único exemplar fabricado do modelo, pois tanto a Lamborghini como a MTI foram imediatamente acionados por uma empresa chamada FMC Corporation, já que o desenho do Cheetah se baseava no do XR311, um veículo militar fabricado nos anos 70 setenta pela FMC. 

Após o fiasco da concorrência, o pessoal da Lamborghini decidiu desenvolver uma evolução do Cheetah original, mas agora como um veículo de uso civil. Este substituía o V8 central de origem Chrysler por um V8 de 5.9 litros da AMC, também montado na parte traseira. Seu desenvolvimento foi suspenso por vários problemas e o modelo definitivo de produção recebeu notáveis modificações, como a mudança da localização do motor para a parte dianteira. Este foi o verdadeiro germe do modelo definitivo de produção e recebeu o nome de LM001.

Revelado em seu formato definitivo vários anos após a apresentação do LM001, o novo LM002 contava com o mesmo motor V12 de 5.2 litros que podia ser encontrado no Countach, com uma potência máxima em torno dos 450 cv. Mas para aqueles que quisessem mais potência, havia uma opção V12 de 7.2 litros que a Lamborghini havia desenvolvido para embarcações. O que unido ao seu elevado peso e grande altura, o tornavam um autêntico devorador de gasolina (não existia a opção diesel), por isso contava com um tanque de 290 litros. 

O resultado foi um mastodonte de 4.79 metros de comprimento por 2.0 metros de largura, com uma altura de 1.85 metros e um peso de 2.700 quilos. Porém o mais chamativo não era o seu tamanho, mas sua imagem. Hoje em dia pode ser habitual ver veículos como os Hummer civis, mas em 1986 o Humvee não era um modelo que podia ser licenciado. Então, o todo-terreno de maior tamanho que podia ser encontrado na rua era o Jeep Wagoneer, que parecia pequeno ao lado do 4x4 italiano.

Suas capacidades off-road estavam fora de qualquer dúvida, embora a verdade seja que muitos de seus clientes nem chegavam perto da terra ou da areia com o LM002. Entre os testes realizados pela Lamborghini durante o seu desenvolvimento, um deles era deixá-lo cair de uma altura equivalente ao primeiro andar de um edifício, algo que essa caixa de metal com rodas era perfeitamente capaz de suportar.

No interior surgia um enorme habitáculo com 4 bancos individuais totalmente forrados em couro, como qualquer modelo da marca. Para os padrões da época era um modelo muito luxuoso, mas na verdade, o uso dado pela imensa maioria dos pouco mais de 300 exemplares fabricados foi a de um veículo de rua, sendo que muitos jamais chegaram a rodar na terra.

Uma das curiosidades do modelo é que não foi fabricado na Itália, mas na Espanha. Os motores e os chassis eram fabricados na Itália e enviados à empresa basca Irizar, que era a encarregada de montá-los.


Autor: PlanetCarsZ