KIA

A história da KIA MOTORS começou exatamente no dia 9 de junho de 1944 com a fundação na cidade sul-coreana de Seul da Kyongseong Precision Industry, que tinha como propósito fabricar rodas para bicicletas. Durante a Guerra da Coréia, entre 1950 e 1953, a empresa mudou suas instalações para a cidade portuária de Pusan, no sul do país, adotando oficialmente o nome de KIA Industries. A primeira sílaba ‘KI’ significa sair ou acordar para o mundo, já a letra ‘A’ significa Ásia, assim KIA significa: acordar ou sair da Ásia para o mundo. A escolha desse novo nome demonstrava os ambiciosos planos de expansão da empresa, que iam muito além do continente asiático. Foi neste período, em 1952, que a empresa produziu sua primeira bicicleta, chamada Samchonriho. Após o fim da guerra a KIA resolveu montar outra fábrica, na localidade de Shiheung, para poder dar vazão às encomendas de bicicletas.

Nos anos seguintes a empresa não parou de crescer, e, em 1961, iniciou a produção de motores para scooters. Sua evolução natural como empresa de meios de transporte foi confirmada no ano seguinte com a criação de um pequeno veículo comercial de três rodas. Em 1965 se tornou a primeira empresa coreana a exportar bicicletas para os Estados Unidos. No início da década de 70, a KIA estabeleceu-se como fabricante de veículos comerciais, especialmente com os modelos Titan, que acabou virando sinônimo de caminhão no país, e Boxer.

Nesta época, devido ao enorme crescimento da empresa, em 1973 foi construída uma nova fábrica em Sohari, que rapidamente começou a produzir motores a gasolina. Finalmente em 1974, a KIA apresentou ao público coreano seu primeiro modelo de passageiros, um compacto chamado Brisa. No ano seguinte, a KIA foi responsável pelo primeiro automóvel de exportação da Coréia do Sul, quando embarcou para a Grécia e para o Oriente Médio suas primeiras unidades. Pouco depois, confirmando cada vez mais seu crescimento acelerado, a empresa comprou a ASIA MOTORS, uma tradicional montadora de veículos comerciais.

No final dessa década, a KIA, que havia iniciado a produção de motores a diesel em 1978, já tinha conquistado uma boa reputação internacional, o que lhe permitiu ser escolhida em 1979 para fabricar os modelos Peugeot 604 e Fiat 132 para o mercado sul-coreano. Apesar do sucesso, no início da década de 80 a KIA entrou em declínio e passou por um processo de reestruturação. Assim, durante a primeira metade dessa década, apostou essencialmente na produção de veículos comerciais, entre os quais se destacavam os modelos de caminhões Bongo, que tinham capacidade de carga de 1 tonelada, além do Bongo Coach, uma espécie de mini-ônibus, e o caminhão Ceres, um dos veículos de maior sucesso da montadora introduzido no mercado em 1983.

Com sua recuperação, os japoneses da Mazda e da C. Itoh investiram na KIA ainda em 1983, além da norte-americana Ford em 1986, permitindo à marca coreana apostar na pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Dessa forma, no final da década surgiram modelos de automóveis mais modernos e avançados como o Conord e o Capital. Nesta época a montadora atingiu a marca histórica de 1 milhão de veículos produzidos desde sua fundação.

Em 1990 a montadora adotou o seu nome atual, KIA MOTORS, e inaugurou uma nova fábrica que lhe permitiu duplicar a produção e atingir a marca de 700 mil veículos fabricados por ano. No ano seguinte a KIA se lançou de vez no mercado internacional com os modelos Sephia e Sportage, este último com características de um veículo utilitário esportivo, ingressando no mercado europeu.

Em 1992, a montadora oficialmente inaugurou sua subsidiária americana, ingressando assim no então maior mercado automobilístico do mundo. O 50º aniversário da marca, comemorado em 1994, foi marcado pelo lançamento do primeiro motor coreano de 16 válvulas a gasolina. Em julho desse mesmo ano, seus veículos começaram a ser comercializados em Portugal. No ano seguinte, a KIA iniciou a produção dos automóveis Sephia na Europa e dois anos mais tarde lançou de uma vez três novos modelos: o Carnival, o esportivo Shuma e uma nova série de caminhões. Mas todo esse processo de expansão e internacionalização da marca teve um preço alto, e entre 1997 e 1998, a KIA esteve muito perto da bancarrota, mas acabou sendo adquirida pela rival Hyundai. Assim, surgiu o conglomerado HYUNDAI KIA AUTOMOTIVE GROUP.

Na virada do novo milênio a KIA MOTORS apresentou sua nova identidade visual com o tradicional logotipo vermelho oval. Em 2005, a KIA MOTORS introduziu seu novo slogan ‘O Poder de Surpreender’ (The Power to Surprise) com o objetivo de fortalecer sua imagem e demonstrar os objetivos da montadora em exceder as expectativas dos consumidores com o desenvolvimento de automóveis avançados e com designer extremamente arrojado.

Comprovando que o poder da KIA de ‘surpreender’ foi assimilado ao redor do mundo, seus produtos e serviços conquistaram numerosos prêmios, graças à atualização de sua linha de veículos e a agilidade da empresa, que é uma das marcas automotivas com crescimento mais rápido do mundo. Desde então, a marca KIA é a que mais cresce no Reino Unido, se transformando em um verdadeiro sucesso também em outros mercados europeus, nos Estados Unidos e principalmente nos países emergentes.

A KIA lançou globalmente o moderno e ousado SOUL, que no Brasil utilizou como jargão a criação de uma nova categoria de veículos no país, a de ‘carro design’. Aliás, design é o foco de crescimento da KIA no mundo. A montadora, inclusive, já redesenhou a grade frontal de seus veículos para fazer alusão às presas de um tigre, o que ilustra bem a meta de abocanhar o mercado mundial.

Carros Relacionados