TATA MOTORS

A Índia nunca foi uma real potência no segmento automobilístico até o final da década de 90, quando a TATA MOTORS lançou seu primeiro grande sucesso no segmento de carros populares. Desde então, a montadora indiana vem ganhando musculatura, e muito dinheiro, o que proporcionou que ela comprasse, por ironia do destino, as marcas de luxo britânicas Jaguar e Land Rover.

Tudo começou no ano de 1945 quando a empresa Tata Engineering and Locomotive Company Limited, fundada por Jehangir Ratanji Dadabhoy Tata, iniciou a produção de locomotivas para atender a crescente demanda por este tipo de transporte na Índia, um país de grandes extensões territoriais onde o trem é um meio de transporte imprescindível. Somente em 1954 a empresa produziu seu primeiro veículo comercial, em colaboração com a alemã Daimler-Benz AG, que disponibilizou tecnologia. A montadora exportou seus primeiros veículos para o Ceilão (atual Sri Lanka) em 1961. Pouco depois, em 1966, a empresa inaugurou na cidade de Pune seu primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento de produtos. Hoje em dia, a área de pesquisa e desenvolvimento emprega 4.500 cientistas e engenheiros que se dedicam a descoberta e emprego de novas tecnologias em seus automóveis.

Os anos 70 foram marcados pelo desenvolvimento dos motores a diesel. A história da montadora começou a mudar quando o herdeiro do fundador, Ratan Naval Tata, assumiu o comando. Depois de décadas de sucesso vendendo veículos comerciais, ele começou a pensar em diversificar os produtos. Foi então que em 1991 a TATA MOTORS lançou no mercado indiano o TATA SIERRA, um veículo de múltiplas utilidades. Depois de lançar mais três modelos, a perua TATA ESTATE, baseada no TATA MOBILE, um veículo comercial leve introduzido em 1989; TATA SUMO, um veículo multi-utilitário; e o TATA SAFARI, primeiro utilitário esportivo indiano; a montadora introduziu no mercado, no final dos anos 90, seu primeiro grande sucesso, o TATA INDICA. O compacto modelo rapidamente se tornou um enorme sucesso, não somente pelo preço competitivo e fácil manutenção como também por ser econômico e ideal para rodar nas apertadas ruas e no trânsito caótico do país. Em apenas dois anos o modelo se tornou líder de mercado em seu segmento.

Nos anos seguintes, o automóvel também começou a ser exportado para a Europa, especialmente para o Reino Unido e a Itália, além da África do Sul que recebeu muitas unidades do carrinho popular. Somente em 2003 a empresa assumiu definitivamente o nome de TATA MOTORS. Com o sucesso econômico a empresa iniciou uma série de importantes aquisições globais, como em 2004 quando comprou a divisão de caminhões da coreana Daewoo (atualmente conhecida como Tata Daewoo Commercial Vehicles Company); em 2005 ao adquirir o controle acionário da fabricante de carrocerias e ônibus espanhola Hispano Carrocera; e, em 2006, ao firmar acordo com a brasileira Marcopolo para introduzir ônibus de piso baixo no mercado indiano.

O ano de 2008 foi marcado por grandes acontecimentos: em 10 de janeiro a montadora apresentou ao mundo o TATA NANO, considerado o veículo mais barato do planeta, custando aproximadamente US$ 3.000, que em poucos meses recebeu mais de 200.000 encomendas. Durante o lançamento do veículo, Ratan Tata relembrou como nasceu a idéia. “Eu observava famílias inteiras andando em scooters, com o pai dirigindo, com um filho na sua frente e a mãe atrás, segurando um bebê de colo”, disse. “Isso me fez questionar se não seria possível conceber um meio de transporte seguro e viável para toda a família”. Com 3.100 mm de comprimento, 1.500 mm de largura e 1.600 mm de altura, o NANO é um monovolume de quatro portas que oferece espaço suficiente para quatro pessoas e também boa dirigibilidade, tanto no trânsito pesado como em áreas rurais. Pouco depois a TATA MOTORS anunciou a aquisição das marcas britânicas Jaguar e Land Rover junto à montadora americana Ford por US$ 2,3 bilhões, ingressando assim no segmento de automóveis de luxo.

Recentemente a TATA MOTORS apresentou uma versão elétrica do veículo mais barato do mundo. Batizada de NANO EV, o modelo marca a entrada da empresa indiana no segmento de automóveis ecologicamente corretos. De acordo com a fabricante, o modelo conta com 40 kW (54 cv) de potência, sendo alimentado por baterias de íons de lítio. Dados oficiais afirmam que ele acelera de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos e que pode chegar a 110 km/h. Sua autonomia chegaria a 160 km. Em 2010 a marca apresentou um novo crossover chamado TATA ARIA. O modelo traz uma nova plataforma, batizada de X2, onde a marca privilegia o conforto dos passageiros, sem abandonar características que o levam para o fora de estrada. Outro destaque do modelo é ser o primeiro veículo da montadora a vir equipado com controle de estabilidade (ESP).

Carros Relacionados