BUICK REGAL GNX #003

1987 - BUICK REGAL GNX #003

BUICK REGAL GNX #003 imagens e fotos de carros

Este é o primeiro exemplar do Buick GNX que foi vendido a um particular, trata-se do chassi número #003.

O GNX foi um dos modelos mais raros, inesperados e chamativos do mercado americano. Uma dessas obras que todos os designers e engenheiros sonham, mas que raramente chegam a tornar-se realidade. No caso do GNX isso é ainda mais evidente, pois a Buick não é precisamente uma marca de grande herança esportiva. 

Dentro da estrutura da General Motors a Buick se posiciona como uma marca burguesa, dedicada quase que exclusivamente a comercializar veículos de traços racionais e generalistas, com uma certa inclinação pelo luxo e o conforto, mas sem chegar à altura de uma Cadillac. Por isso que lançar um modelo de estilo esportivo e muito radical, além de ser capaz de superar o próprio Corvette, era simplesmente uma fantasia para os aficionados e os concessionários da marca naquele momento.

Os modelos esportivos tradicionalmente eram exclusivos de outras marcas do grupo, como a Chevrolet e a Pontiac, mas a Buick rompeu todos os esquemas e normas quando revelou o GNX na década de 80, inclusive as normas mais antigas dentro da GM, como não ultrapassar a referência de potência e esportividade do grupo, o Chevrolet Corvette.

A Buick desenvolveu essa edição especial limitada como uma despedida do Grand National, a denominação com a qual era comercializado o Regal em sua versão coupe de duas portas durante sua segunda geração. Esse modelo desapareceu em 1988, por isso que um ano antes a Buick soltou a bomba, o inesperado GNX sobrealimentado.

O Buick Regal GNX nascia em 1987 após um desenvolvimento realizado em colaboração com a ASC e a McLaren Performance Technologies - a antiga divisão americana da equipe fundada por Bruce McLaren e na época sem relação com a estrutura britânica de Woking. 

Inicialmente as unidades saiam da fábrica da Buick como um Regal Grand National a mais, mas logo eram enviados à McLaren em Michigan, onde além de revisar a suspensão e o sistema de freios, os especialistas equipavam o motor V6 de 3.8 litros com um novo turbocompressor Garrett com intercooler. O resultado era uma potência de 304 cv e 569 Nm de torque máximo, embora a Buick, por algum motivo, homologou apenas 275 cv e 488 Nm de torque. 

De modo comparativo, o Corvette na época se encontrava em sua quarta geração e contava com o motor V8 L98 de 248 cv como a opção mais potente, claramente inferior à oferta do GNX, o que permitia que o GNX fosse mais rápido na aceleração. Isso não havia acontecido na GM até aquel momento e inclusive hoje em dia seria algo impensável. O Corvette teve que esperar alguns anos a mais, até década de 90, para superar os 300 cv e em relação ao Camaro da época, não havia nenhuma versão que chegasse à altura dos Buick Regal GNX.

Foram fabricados somente 547 exemplares, embora inicialmente houvessem planejado uma produção de 500 GNX. Por isso, a General Motors guardou para si os exemplares #001 e #500, enquanto que o GNX #002 foi parar no museu da Buick em Michigan. O fim da produção fez com que o exemplar #547 acabasse em mãos privadas e embora a GM tentasse por todos os meios recuperá-lo, seu proprietário o preservou em estado novo durante décadas.

O exemplar que aparece na imagens é o chassi número #003. E embora inicialmente fosse utilizado como veículo de imprensa, em 1988 passou a fazer parte do estoque de um concessionário de Michigan, a Fischer Buick. Um ano mais tarde foi vendido a um cliente particular, que o manteve preservado e sem usá-lo durante duas décadas.

Após passar pelas garagens de vários proprietários, que apenas somaram mais alguns quilômetros em seu marcador nesses anos, o GNX #003 será leiloado no evento da Barrett-Jackson, em Scottsdale (Arizona), no próximo mês de janeiro. 

Conta somente com 10.790 milhas de uso, pouco mais de 17.000 quilômetros. No foi revelada por enquanto sua estimativa de preço, apenas que será vendido sem reserva, portanto, seja qual for o lance mais alto, essa peça histórica voltará a mudar de mãos.