LAMBORGHINI DIABLO GTR

2000 - LAMBORGHINI DIABLO GTR

LAMBORGHINI DIABLO GTR imagens e fotos de carros

Das diversas versões do Lamborghini Diablo, o GTR do final da década de 90 é a versão mais radical e uma das mais raras do modelo. No total foram montados apenas 40 exemplares dessa versão ‘track-only’ do esportivo italiano de 12 cilindros, das quais a unidade que aparece nas imagens em uma estridente cor laranja corresponde ao número 19. Na verdade a marca pretendia lançar una produção limitada a somente 30 unidades dessa versão, mas uma vez completado o número planejado, decidiram montar outros 10 exemplares adicionais.

A intenção da Lamborghini com essa edição especial era muito simples, maximizar o desempenho do modelo para seu uso exclusivo em pista. Para isso tomaram como base a última evolução do modelo de rua, o Diablo GT, ao qual foram efetuadas algumas modificações mecânicas e de chassi, assim como um extensivo tratamento de alívio de peso.

O exemplar laranja das imagens é do ano 2000 e faz parte dos lotes que serão leiloados pela RM Sotheby's em seu próximo evento em Monterey, neste mês de agosto. As estimativas prévias da casa de leilões indicam que esse Lamborghini, que não pode ser licenciado, poderá alcançar um valor entre 580.000 e 780.000 dólares.

Apresentado em 1999 durante o Salão de Bologna, o novo Diablo GTR contava com a última evolução do motor V12 de 6.0 litros que estreava no Diablo GT de rua, mas com uma potência elevada até os impressionantes 598 cv, graças às mudanças na distribuição, um novo coletor de admissão, bielas de titânio, um novo virabrequim e um novo coletor de escape. O que o tornava em uma das versões do Diablo mais potentes, embora não a mais, já que essa honra recaia no também raro Lamborghini Diablo SE30 Jota, a versão mais radical da edição de aniversário SE30 e que gerava 603 cv.

No entanto, o novo Diablo GTR não só contava com um chassi muito mais trabalhado, com novos sistemas de suspensão e freios, mas dispunha de um novo estudo aerodinâmico que elevava consideravelmente a carga aerodinâmica do esportivo. Assim mesmo, apresentava um peso inferior ao do Diablo GT, do qual deriva. Se o Diablo GT já contava com inúmeros elementos em fibra de carbono em sua carroceria, a versão GTR prescindia de todos os elementos supérfluos, inclusive do sistema de tração total, apresentando um habitáculo completamente careca, como o de qualquer veículo de circuito.

Com tudo isso, o Diablo GTR era capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos e de atingir uma velocidade máxima de 340 km/h.