RANGE ROVER HYBRID SILK TRAIL

2014 - RANGE ROVER HYBRID SILK TRAIL

RANGE ROVER HYBRID SILK TRAIL imagens e fotos de carros

- Três protótipos híbridos Range Rover Diesel completaram os 16.760 km ao longo da Trilha da Seda de Solihull , sede da Land Rover, até Mumbai, a sede dos proprietários da Jaguar Land Rover, a Tata
 

- A jornada durou 53 dias, e passou por 13 países e dois continentes colocando os protótipos híbridos Range Rover ao extremo de seu teste final de engenharia
 

- Testado em limites de temperatura de -10 graus a 43 graus Celsius e em altitudes de 5.500 metros e em todos os tipos de terreno
 

- Primeiros veículos com matrícula estrangeira a rodar na rodovia chinesa Xinjiang-Tibet
 

- As primeiras entregas do híbrido da Land Rover começam no primeiro trimestre de 2014 apenas para mercados selecionados

Três protótipos híbridos Range Rover Diesel concluíram o teste final de engenharia ao atravessar 13 países ao longo de 53 dias de Solihull, Reino Unido, até Mumbai, na Índia. A primeira expedição de veículos híbridos do mundo ao longo da Trilha da Seda e uma das mais ousadas aventuras perseguidas e realizadas pela Land Rover.

Condições hostis na rota incluíam estradas de asfalto com muitos e profundos buracos, trilhas empoeiradas no deserto a 43° C de calor e muitos quilômetros de trilhas em lama e cascalho onde somente o gado passava. Além disso, travessias de rios, passagem por bordas de montanhas parcialmente bloqueadas por quedas de rochas, o ar rarefeito de altitudes extremamente elevadas e o tráfego denso e irregular de estradas chinesas e indianas, tudo isso testando o homem e a máquina.

A expedição Silk Trail 2013 (Trilha da Seda 2013) foi o teste de validação final para o Range Rover híbrido, antes de ser aprovado para a produção. Da sede da lenda em Solihull, Reino Unido, a expedição abriu caminho pela França, Bélgica, Alemanha, Polônia, Ucrânia, Rússia, Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão, China (incluindo o Tibete), Nepal e Índia. Durante grande parte desta distância a expedição seguiu as lendárias rotas de comércio da seda que ligava a Ásia com a Europa há mais de 2.500 anos atrás. As paradas durante a noite eram feitas em hotéis, pousadas e barracas e em muitas vezes, nos mesmos pontos da Rota da Seda onde paravam todos os anos os mercadores, missionários e mercenários.

Onde o norte e o sul da Estrada da Seda dividiam, perto da remota cidade de Kashgar no norte ocidental da China, a pioneira expedição trilhou por uma rota montanhosa nunca antes visitada por um veículo de fora do país e nunca visitada anteriormente em sua totalidade por qualquer ocidental, a rodovia Xinjiang-Tibet, fazendo o Range Rover híbrido viajar em alturas de mais de 5.300 metros acima do nível do mar.

Sete dias consecutivos, foram gastos em altitudes entre 3.350 e 5.379 metros. Nessas grandes altitudes, o teor de oxigênio do ar é reduzido dos 21 % do encontrado ao nível do mar para poucos 10 %, tornando a movimentação mais difícil para os seres humanos e para os motores de combustão interna. Os Range Rovers continuaram a ter bom desempenho, apesar de estarem lotados com cargas pesadas, incluindo bagagem, equipamentos de camping, alimentos, equipamentos médicos, pneus e rodas sobressalentes e galões de combustível. O trajeto por estradas intransitáveis para outros tipos de veículos, mostrou a excelente combinação do motor elétrico de 35kW apoiando o motor diesel 3.0 Turbo TDV6 obtendo consumo de combustível excelente para um veículo tão potente.

Os Engenheiros de Desenvolvimento da Land Rover enviaram mais de 300 gigabytes de registros técnicos detalhados para a sua equipe de engenharia em Gaydon, no Reino Unido. O objetivo da expedição não foi testar a confiabilidade de componentes mecânicos, que já estão comprovados, mas para afinar a calibração do motor e do software de transmissão para garantir um desempenho perfeito em todos os terrenos e com as temperaturas e altitudes extremas. Contratempos técnicos refletiram as dificuldades das estradas: 15 pneus furados entre os três Range Rovers híbrido e os quatro veículos de apoio , quatro rodas danificadas por buracos profundos, e quatro parabrisas rachados por pedras caídas das encostas das montanhas.

Peter Richings, Diretor da Jaguar Land Rover que participou da etapa final de Jaipur a Mumbai comentou: "a primeira expedição com veículos diesel híbridos do mundo ao longo da Trilha da Seda, pioneira e ambiciosa rota entre a Europa e a Ásia, teria sido intransponível para a maioria dos outros tipos de veículos, mas não importando as condições hostis, os protótipos híbridos Range Rover levaram tudo a seu passo. No desenvolvimento do Range Rover híbrido, o nosso objetivo foi ganhar economia de combustível e melhorar as emissões de carbono sem comprometer o espaço interior, o refinamento e a capacidade de “ir a qualquer lugar” do Range Rover. O sucesso desta notável expedição demonstrou claramente que conseguimos nosso objetivo."