RENAULT CLIO WILLIAMS

1993 - RENAULT CLIO WILLIAMS

RENAULT CLIO WILLIAMS imagens e fotos de carros

Foi em 1993 que a Renault decidiu lançar o Clio Williams. Seria uma série limitada a 2.500 unidades, e a marca francesa pretendia mostrar ao publico o que era um carro de rally.

O sucesso foi imediato, o Clio Williams andava de boca em boca, as revistas faziam-lhe referências e a Renault decidiu aumentar a produção para 12.100 unidades. Sem dúvida nenhuma que muito do sucesso do "Pocket Rocket" veio graças ao seu sobrenome "Wiliams". Wiliams a gloriosa equipe de Formula 1 que utilizava os motores Renault na época. Muitos julgavam que a equipe britânica esteve envolvida no projeto, mas não. A Renault foi a única envolvida no projeto e diga-se de passagem que fez um bom trabalho.

O Renault Clio 1.8 16V era o modelo mais esportivo da marca. O motor F7R do Clio foi evoluído e passou de 1.8 litros de cilindrada para os 2.0 litros. As modificações eram evidentes, era um novo motor, uma nova vida. As válvulas de ação sequencial eram diferentes, procuravam um rendimento superior. O objetivo seria aproximar-se de um carro de corridas quase puro.

O chassi também sofria modificações. Desta forma o eixo dianteiro era todo fabricado com peças novas. Os componentes da suspensão dianteira provinham do Renault 19 16V, o que resultava em ficar 34 mm mais baixo. As geometrias do eixo eram pensadas de forma a haver compatibilidade para o modelo. O conjunto de amortecedores eram agora mais duros e existia uma barra estabilizadora um milímetro mais grossa. O eixo traseiro mantinha as mesmas geometrias.

O Clio Williams não tinha problemas em mostrar o que era, não escondia o seu objetivo de ser um carro projetado para transmitir sensações ao condutor, era criado para ser infalível na condução esportiva, feito para a competição. Mas não era vendido sem os opcionais como airbag, ar condicionado e ABS. Para poupar peso o Clio Williams não trazia sistema elétrico nos espelhos e nos vidros.

Foram criadas várias versões para competição do modelo. Desde uma para o Grupo N, que alcançava os 165 cv, passando por um do Grupo A, que produzia entre 205 e 220 cv. Mas o verdadeiro e jamais esquecido por todos os aficionados da marca era sem duvida o Renault Clio Williams Maxy Kit Car, que alcançava uma potência de 265 cv. Jamais esquecido da época dourada do Rally, com o seu aspecto agressivo, graças à sua dianteira e ao aerofólio traseiro, fabricado em fibra de carbono.

O Clio 2.0 L 16V com o motor de 150 cv atingia uma velocidade máxima de 215 km/h. A Renault posteriormente colocou no mercado o Clio Williams 2 e o Clio Williams 3 que eram edições especiais, para grande desgosto dos proprietários que julgavam ter assegurado a exclusividade do original Clio Williams.

As diferenças das três versões do Clio Williams foram em grande parte um reflexo das mudanças que existiram em toda a linha Clio, que veio sofrer alterações ao longo do tempo. Segurança melhorada, estética melhorada. O Williams 1 e 2 não tinham teto solar e foram pintados de Azul Sports. Já o Williams 3 era pintado em Azul Mônaco, um tom ligeiramente mais brilhante e acabou ganhando teto de solar.